Família tenta, há 8 dias, enterrar idosa que morreu em hospital público do DF




Uma família do Distrito Federal tenta, há oito dias, enterrar o corpo de uma mulher de 87 anos que morreu no Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), no Plano Piloto, em Brasília. A aposentada foi internada no dia 3 de março e morreu no dia 28. Até a tarde desta quinta-feira (5), o corpo de Enedina Vicente Ferreira continuava no hospital público.
Segundo a informação passada para a família, o problema é a falta de carro do Serviço Funerário Social. Após o contato da TV Globo, a Subsecretaria de Desenvolvimento Social do DF lamentou o caso, reconheceu a falha, pediu desculpas à família e marcou a remoção do corpo.
"A equipe operacional, somente hoje, comunicou o ocorrido à subsecretária, que imediatamente tomou todas as providências. Amanhã [sexta], às 8h, o corpo será removido do HRAN para o Cemitério do Gama, e o sepultamento ocorrerá às 10h30", diz a nota.

Pedidos ignorados

Darci Francisco Ferreira, marido de Enedina, diz que na quinta-feira (29), um dia após a morte da esposa, pediu ajuda ao Serviço Funerário Social. Ferreira lembra que era véspera do feriado de Páscoa e ele foi ao Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do Gama, onde a família mora
"Ontem [4], eles falaram que ela seria prioridade. Mas hoje [5] já disseram que não ia ser, que seria primeiro os indigentes nos hospitais”, conta ele. O novo agendamento ficou para sexta (6), mas o afilhado da aposentada já não tem certeza se vai mesmo acontecer.


FONTE G1 MUNDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário