Vigilantes suspendem greve no DF e categoria volta ao trabalho




Após 12 dias de paralisação, os vigilantes que atuam no Distrito Federal decidiram voltar ao trabalho no fim da tarde desta segunda-feira (12). Em greve desde o dia 1º, a categoria reivindica aumento salarial, manutenção de seguro de vida e plano de saúde, e reajuste do vale-alimentação.
Com a volta às atividades, as negociações serão mediadas pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 10ª região. A primeira audiência de negociação com a vice-presidente do TRT, a desembargadora Maria Regina Machado Guimarães, acontece na manhã desta terça-feira (13).
Segundo a direção do sindicato, mesmo sem acordo sobre as reinvindicações da categoria  os vigilantes vão retomar, "imediatamente", o trabalho em todo Distrito Federal. São cerca de 20 mil trabalhadores que atuam em bancos, hospitais, postos de saúde, postos do INSS, parques, escolas e vários outros erviços públicos.

Entenda a greve

A categoria decidiu cruzar os braços após assembleia na noite de 28 de fevereiro. Entre os principais pedidos dos trabalhadores, estão aumento de salários, manutenção de seguro de vida e plano de saúde, e reajuste do vale-alimentação.
A negociação começou em janeiro. Desde então, as empresas propuseram medidas permitidas pela reforma trabalhista. Além disso, sugeriram pagar metade do vale-alimentação por meio de cestas básicas, mas a categoria recusou a proposta.
No ano passado, uma greve da categoria foi deflagrada em abril, devido à manutenção de uma cláusula definida em convenção coletiva que proibia a contratação de vigilantes horistas – aqueles que recebem por hora de serviço de segurança.
Em agosto, os vigilantes fizeram uma paralisação por causa do atraso no salário de 3,5 mil profissionais deveriam ter sidos depositados até quinto dia útil. Empresas alegaram atraso de repasse do governo do DF para explicar o problema.


FONTE:G1 MUNDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário