Vigilantes do DF mantêm greve; parques serão abertos com apoio da PM




A audiência de conciliação entre o Sindicato dos Empregados de Empresas de Segurança e Vigilância do Distrito Federal (SINDESV) e o Sindicato de Empresas de Segurança (SINDESP-DF) terminou sem acordo nesta sexta-feira (2). Os vigilantes do DF, em greve na quinta (1º) decidiram manter a paralisação.
A audiência, na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT10) durou quase duas horas. Os vigilantes pedem um reajuste de 3,10% nos salários e de 6,8% no auxílio-alimentação. As empresas oferecem reajuste salarial de 2% condicionados à suspensão da greve.
Com a paralisação, atendimentos em hospitais públicos, agências do INSS e agências bancárias está prejudicado. O Jardim Botânico e outros 72 parques e Unidades de Conservação Ambiental administrados pelo Instituto Brasília Ambiental (Ibram) também estão fechados pela falta de segurança – tanto para os frequentadores como para o patrimônio público, diz o Ibram.

Ajuda da PM

Para reabrir os parques durante o fim de semana, o Ibram pediu ao Comando Geral da Polícia Militar do DF uma forma de apoio dos batalhões na segurança de algumas Unidades de Conversação mais frequentadas.
Entre os locais, estão o Parque de Águas Claras, Ezechias Hering (no Guará), Saburo Onoyama (em Taguatinga), Olhos D Água (Asa Norte), Bosque do Sudoeste, Asa Sul, Dom Bosco, Península Sul e Asa Delta (no Lago Sul), Sucupira (Planaltina), Três Meninas (Samambaia), Paranoá e Jequitibás (em Sobradinho).
No pedido à PM, o Ibram justifica que foi obrigado a interromper as atividades das Unidades de Conservação, pois sem a presença dos vigilantes "não há como garantir a segurança patrimonial e acompanhar a conduta dos usuários para que cumpram as regras exigidas no usufruto desses espaços".
A Polícia Militar do Distrito Federal informou que apoiará o Ibram com equipes de policiamento em todos os parque solicitados.

Jardim Botânico fechado

A administração do Jardim Botânico informou que, por falta de segurança, não abrirá o local para visitação durante o fim de semana. Por meio de nota, explicou que está fazendo uma escala com os funcionários para cobrir a ausência dos vigilantes em greve. Mas em função do tamanho da área e do grande número de frequentadores no final de semana, optou por fechar o acesso.
De acordo com o Jardim Botânico, "seria imprudente permanecer aberto ao público uma vez que lidamos com arrecadação financeira, colocando em risco a integridade do servidor responsável e do público em geral".

FONTE:G1 MUNDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário