Teatro para bebês aborda memórias com enredo sobre Alzheimer



Um espetáculo voltado para bebês, que usa o enredo de um casal com Alzheimer para falar sobre sentimentos, memórias e os significados que damos a cada lugar ou objeto: esta é a proposta da peça "Relicário", que estreia nesta quarta-feira (21) em uma creche pública do Guará, no Distrito Federal.
O espetáculo seguirá por outras nove instituições, em uma temporada que vai até maio.
A ideia surgiu a partir de um conto de Gabriel Guirrá, um dos atores do espetáculo. A narrativa da doença é usada como pano de fundo para o trabalho musical e corporal com os bebês. Em cena, os personagens abrem um relicário – uma caixinha de recordações – e passam a observar os objetos um a um.
A atriz Hyandra Ello explicou que o objetivo é repensar o que cada coisa representa: "Algumas coisas são ressignificadas, uma xícara se transforma em outra coisa, alguns objetos nos trazem lembranças de como a gente se conheceu"

A reação dos bebês

O público é formado por crianças de até 6 anos, mas, de acordo com Hyandra, os mais crescidos têm uma necessidade maior de significar os objetos em contextos concretos.
"Bebês se ligam muito mais pelo o que estão sentindo, não estão preocupados com uma dramaturgia linear. Eles têm que sentir verdade, senão não se conectam."

 A dupla fez a pré-estreia de "Relicário" em 2016, com uma curta temporada de dois fins de semana. A atriz afirma que a experiência foi surpreendente e que vários bebês se emocionaram durante a peça, rindo e até chorando.
Hyandra afirmou também que os pequenos entendem o trabalho dos atores. "Eles respeitam muito os rituais, como comer e trocar a fralda, e entendem a peça como um ritual também. Já aconteceu de adultos invadirem nosso espaço de cena, pisarem no tapete. Os bebês nunca fizeram isso", afirmou. Ao fim da peça de 30 minutos, o público pode tocar nos objetos e interagir com os artistas.
Além da faixa etária, outro fator para a total entrega das crianças à obra é a condição social deles. Muitas vezes, os pequenos espectadores nem sequer sabem o que é uma peça de teatro. Hyandra contou que, durante um ensaio em uma praça pública, um menino de aproximadamente 5 anos se aproximou para perguntar "se o cinema já tinha acabado".
"As crianças das creches públicas são carentes de dinheiro, mas, muitas vezes, carentes de atenção também, porque os pais precisam trabalhar muito. Vale a pena ver o olhar de gratidão deles."

Serviço

Por onde o espetáculo passará entre março e maio:
  • 21/03 – Creche Sorriso de Maria – Guará
  • 28/03 – Creche Tia Joana – Guará (Lucio Costa)
  • 04/04 – Creche Comunitária QE 38 – Guará
  • 11/04 – Creche Lobo Guará – Guará (Lucio Costa)
  • 19/04 – Creche Cantinho da Paz II – Areal
  • 25/04 – CEPI Rosa do Cerrado – Areal
  • 02/05 – Creche Jequitibá – Águas Claras
  • 09/05 – Escolinha Beija Flor – Taguatinga
  • 16/05 – Creche Cantinho da Paz I – Taguatinga
  • 23/05 – Creche Flor de Liz – Taguatinga
FONTE:G1 MUNDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário