Morre motorista que atropelou e matou casal de idosos no Lago Norte



O motorista que dirigia o carro que atropelou e matou um casal de idosos no Lago Norte, em Brasília, em 18 de janeiro, morreu na madrugada desta segunda-feira (12), quase dois meses depois do acidente. A informação foi confirmada pela direção do Hospital Santa Lúcia. A família pediu discrição a respeito do assunto.
A servidora da Câmara dos Deputados Luciana Pupe Vieira, de 46 anos, ficou internada no hospital desde o acidente, boa parte do tempo em coma induzido. No fim de janeiro, um protocolo de morte cerebral chegou a ser iniciado, mas o cérebro de Luciana regiu e, por esse motivo, o procedimento foi suspenso.
Médicos que atenderam Luciana no Hospital de Base, no dia do acidente, informaram que ela tinha diabetes e, possivelmente, teria sofrido uma crise de hipoglicemia ao volante.
A motorista foi autuada por homicídio doloso com dolo eventual – quando assume-se o risco de matar – e responderia em liberdade até o fim do julgamento. A medida foi adotada pela Polícia Civil para que ela não precisasse ser escoltada no hospital. Com a morte, o processo deve ser arquivado.

Velocidade: 140 km/h

Os servidores públicos aposentados Evaldo Augusto da Silva, de 75 anos, e Dulcineia Rosalino da Silva, de 72, foram atingidos pela Mitsubishi ASX da motorista quando caminhavam na calçada próxima à QI 10. Os corpos do casal foram cremados.
O laudo do Instituto de Criminalística da Polícia Civil apontou que o carro estava a 140 km/h no momento do acidente. A velocidade máxima permitida na via é de 60 km/h. De acordo com os peritos, "depois do atropelamento o carro tombou no asfalto e se arrastou por mais 7,5 metros".

No entendimento da polícia, a mulher assumiu o risco de matar ao dirigir com o dobro da velocidade permitida. Segundo as investigações, o velocímetro indicou que Luciana percorreu, pelo menos, dois quilômetros acima de 60 km/h.
“Não descartamos que ela possa ter tido algum mal súbito que ocasionou tudo isso", disse, na época, a delegada do Lago Norte, Mônica Loureiro.

Boa motorista

De acordo com Loureiro, a polícia acessou o histórico de multas da motorista responsável pelo acidente. Os registros mostram que Luciana Pupe era uma boa condutora, afirmou a delegada.
“Ela tinha 0 ponto na carteira, o que demonstra que ela é muito cuidadosa no trânsito."
"Familiares também contaram que Luciana era muito preocupada ao volante”, disse a delegada-chefe da 9ª DP

A família das vítimas e da motorista se conhecem da mesma igreja, a Paróquia Nossa Senhora do Lago, na QI 3 do Lago Norte. O casal morava a 3km da igreja e era conhecido por ter participação atuante na comunidade religiosa.

FONTE:G1 MUNDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário