Laudo da UnB contradiz governo e recomenda demolição completa de viaduto do Eixão



Relatório elaborado pela Universidade de Brasília (UnB) recomenda que o governo do Distrito Federal faça a demolição completa do viaduto que desabou parcialmente na Galeria dos Estados, no Eixão Sul, em fevereiro deste ano. Segundo o texto, a degradação da estrutura ultrapassou "o dobro do limite crítico".
As conclusões do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental contradizem a análise do próprio governo, que anunciou na última sexta-feira (2) a intenção de aproveitar parte das estruturas que sobreviveram ao desabamento.
"Houve consenso de aproveitarmos os principais elementos do viaduto, como a fundação, o bloco de fundação e do núcleo central do pilar", afirmou o diretor do Departamento de Estradas e Rodagens do DF (DER), Márcio Buzar.
Ao G1, a Casa Civil afirmou que ainda não tinha recebido o relatório completo até esta quarta e, por isso, não comentaria a divulgação do laudo.
Ainda em fevereiro, amostras do bloco que desabou foram colhidas e levadas para análise nos laboratórios da UnB. “Se os ensaios [os laudos] apontarem que a corrosão está avançada, que o concreto não aguenta, então não tem jeito de aproveitar aquilo ali", afirmou Buzar, naquele momento.
As conclusões foram divulgadas nesta quarta-feira (7) mas, segundo os professores, um relatório técnico já tinha sido apresentado ao Palácio do Buriti no último dia 26 – dentro do prazo estipulado.

Muito além do aceitável

A análise feita pela UnB se baseia em cálculos complexos que, ao final, geram um "índice de risco". Segundo o relatório, um resultado 100 já representaria risco elevado de queda. No viaduto da Galeria dos Estados, o nível apurado foi de 240 – 140% a mais que o nível crítico.
De acordo com o relatório, a queda do viaduto foi causada por uma rachadura de 1 cm na estrutura de uma das lajes de sustentação. "A convergência dos resultados do estudo indica a 


FONTE:G1 MUNDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário