Juiz condena jovem que atropelou e matou ciclista Raul Aragão a cumprir 'penas alternativas'



A justiça de Brasília condenou o estudante Johann Homonnai, de 18 anos, a penas alternativas e a ficar dois meses sem tirar habilitação para dirigir. O rapaz é acusado de atropelar e matar o ciclista Raul Aragão, em outubro do ano passado, na L2 Norte.
Na sentença proferida na quarta-feira (21), o juiz Osvaldo Tovani condenou Homonnai a dois anos de prisão em regime aberto por homicídio culposo. Porém, o magistrado substituiu a detenção por duas penas alternativas, a serem definidas pela Vara de Execuções Penais. Entre elas, o jovem poderá ter limitações de fim de semana ou prestações de serviços à comunidade, por exemplo.
De acordo com laudo do Instituto de Criminalística da Polícia Civil, Homonnai dirigia a 95km/h quando atingiu Raul, que estava em uma bicicleta. A velocidade máxima da L2 Norte é 60km/h. O motorista contestou a versão da perícia.
A sentença saiu quase um mês depois do julgamento de Homonnai. Durante a fase de interrogatórios, as famílias da vítima e do réu trocaram insultos no Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios.

Promessa de recurso

O advogado de Johann Homonnai, Cleber Lopes, promete recorrer. "Na nossa compreensão, o magistrado levou em consideração substancialmente o excesso de velocidade como causa do acidente. A defesa sustenta que há outros as aspectos na dinâmica do evento que não foram considerados”, disse.

Já o coordenador-geral da ONG Rodas da Paz, Bruno Leite, considerou branda a pena aplicada a Homonnai. "Não desejaria que ele ficasse preso na cadeia, mas a suspensão do direito de dirigir deveria se estender por mais tempo", avaliou.
  • ONG pediu que Ministério Público investigasse atropelamento
Raul Aragão fazia parte da Rodas da Paz. Na ONG, ele reivindicava maior segurança no trânsito aos ciclistas e ensinava pessoas a pedalar no projeto Bike Anjo.
"Ele [Homonnai] vai continuar dirigindo, mas deixou uma família destroçada."
Segundo Leite, mortes do tipo não devem ser encaradas como acidente. "São crimes. Uma pessoa transitando com quase o dobro da velocidade da via assume o risco de matar."

fonte:g1 mundo

Nenhum comentário:

Postar um comentário