Jogo de Cena reúne dança, música, teatro e cinema para celebrar 33 anos de evento




O evento cultural de Brasília que completa 33 anos de espetáculos mensais, Jogo de Cena, apresenta na edição desta quarta-feira (28), às 20h, peça de teatro com temática feminina, trecho de um filme da capital, show de viola e espetáculo de danças urbanas.
A jornalista da TV Globo Márcia Witczak também vai participar, mas como entrevistada. Ela vai bater um papo com a travesti Carmela, interpretada pelo artista e colega de profissão Diego Ponce de Leon.
Desta vez, também será apresentado um trecho do "Musical gótico das orquídeas noturnas", com as drag queens Larissa Hollywood e Tonhão Nunes. O evento é dividido em quadros de arte, cinema, música, dança e teatro (veja abaixo).
Em cima do palco durante todo o programa, o arista plástico e músico Paulo Maciel pintará um quadro. O evento ocorre sempre no teatro da Caixa, no Setor Bancário Sul, às 20h. A meia-entrada custa R$ 10.

Nos intervalos, os humoristas Ricardo Pipo (Melhores do Mundo) e Rodolfo Cordón (G7) fazem brincadeiras e piadas sobre o que foi apresentado ou ainda vai sair das coxias para ocupar o tempo de troca de cenário e iluminação.

Um pouco do que vai ter:

Fale pessoa: Carmela
Criação do jornalista-artista Diego Ponce de Leon, Carmela tornou-se uma figura popular na cena brasiliense. Na performance desta quarta (28), ela vai bater um papo descontraído com a jornalista editora de cultura da TV Globo, Márcia Witczak.
Pintor da noite: Paulo Maciel
Autodidata, Maciel começou a pintar em 1998. O artista define o próprio trabalho como a "arte de dentro pra fora, de fora pra dentro". Ele também é músico, compositor e letrista de bandas como Mel da Terra, Akneton e Manto.
Se toque: Violinha caipira
"Violinha Caipira" é o disco de estreia do violeiro e compositor Marcello Linhos. A obra contém músicas voltadas para o público infantil inspiradas no cerrado brasileiro, na cultura caipira e na importância do instrumento.
Cometa cena I: "A cor lilás: 1 ª ensaio"
O grupo "TPM" apresenta um trecho do espetáculo "A cor lilás: 1 ª ensaio"", com direção de Thaís Ferreira. A peça é a primeira etapa de uma pesquisa "em busca da mulher que existe por trás da vítima". Com atuação de Camilla Fernandez e Ingrid Soares.
TV fora do ar: "A margem do universo"
Dirigido por Tiago Esmeraldo, o curta "A margem do universo" conta a história de dois alienígenas que desembarcam na terra para fazer uma investigação espacial. O filme ganhou prêmios como o de melhor fotografia no 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e o troféu Mostra Curta Paranoá.
Cometa cenas II: "O musical gótico das orquídeas noturnas"
No musical, as drags Larissa Hollywood e Tonhão Nunes coincidentemente perdem o marido no mesmo dia. As duas se encontram no velório e lamentam juntas até que algo inesperado acontece.

Sua pessoa dança: Lenda Urbana
De Taguatinga, o grupo "Lenda Urbana" foi criado em 2009 com dançarinos que treinavam modalidades das danças urbanas entre becos e vielas da região. A coreografia é de Rafael Facundo.

O Jogo de Cena começou, em 1985, como um programa da extinta Fundação Cultural, do GDF, mas em 1988, a gestão de Joaquim Roriz (PMDB) abriu mão da realização. Foi então que os produtores James Fensterseifer e Alexandre Malta assumiram a responsabilidade.
Sob nova direção, o Jogo de Cena reestreou em 1999 no Teatro Sesc Garagem, na 913 Sul, onde permanceu durante quatro anos. Ao longo dos anos, o evento passou por casas culturais do DF que hoje estão fechadas, como o teatro Galpãozinho, no Espaço Cultural Renato Russo, e a Escola Parque, ambos na 508 Sul.

Em 1994, os produtores decidiram subir um degrau e passaram a realizar o evento no Teatro Nacional. Somente em 2000, o evento foi transferido para o teatro da Caixa. Assim, até hoje o Jogo de Cena é considerado carimbo obrigatório no currículo de artistas da capital.

FONTE:G1 MUNDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário