Greve de vigilantes fecha mais de 70 parques no DF




A paralisação de funcionários das empresas de segurança e de vigilância do Distrito Federal fechou 72 parques e unidades de conservação em todo o DF nesta quinta-feira (1º). Os locais são administrados pelo Instituto Brasília Ambiental (IBRAM) que decidiu não abrir os espaços para os visitantes enquanto durar a greve.
De acordo com o IBRAM, a medida foi tomada para garantir a segurança dos frequentadores e preservar o patrimônio público, a fauna e a flora. Parques como o de Águas Claras, Olhos D'Água, Península, Veredinhas e Vila Planalto estão entre os cerca de 20 administrados pelo instituto e que ficam em pontos estratégicos para a população.
O Sindicato dos Vigilantes do Distrito Federal (Sindesv-DF) representa cerca de 20 mil trabalhadores. A categoria decidiu paralisar as atividades, por tempo indeterminado, após uma assembleia realizada na noite desta quarta-feira (28).
Entre as principais reinvindicações, estão aumento de 7% nos salários, manutenção de seguro de vida e plano de saúde, e reajuste do vale-alimentação. A negociação com as empresas começou em janeiro. Desde então, foram propostas medidas permitidas pela reforma trabalhista, mas a categoria não aceitou. Além disso, as empresas sugeriram pagar metade do vale-alimentação por meio de cestas básicas.

utros serviços afetados

Serviços essenciais à população do Distrito Federal também foram afetados pela greve no começo da manhã. Aos menos três centros de saúde decidiram não abrir as portas e várias agências bancárias não atenderam os clientes por falta de vigilantes.
Os hospitais e os postos do INSS registraram grandes filas logo cedo, mas a situação se normalizou ainda de manhã. Por questões de segurança, nove hospitais suspenderam as visitas aos pacientes internados.

FONTE:G1 MUNDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário