Inflação no DF é a menor do país em janeiro; entenda o que isso significa



Distrito Federal registrou a menor inflação do Brasil em janeiro de 2018. Os números foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (8).
Segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – que mede a inflação oficial do país –, a capital teve uma deflação de -0,15% no primeiro mês de 2018. Em dezembro de 2017, a inflação foi de 0,59%.
  • Inflação oficial perde força e fica em 0,29% em janeiro, diz IBGE
Segundo os dados coletados, dois grupos contribuíram para a queda da inflação no Distrito Federal: vestuário, com índice de -1,2%, e habitação, registrando -0,85%.
Entretanto, mesmo com a inflação reduzida, outros dois grupos apresentaram aumento nos preços. Residência e alimentação tiveram uma maior variação durante o mês de janeiro – com aumento de 0,59% e 0,58% respectivamente.

Deflação: bom ou ruim?

Ao G1, o professor de finanças públicas da Universidade de Brasília (UnB) Roberto Bocaccio Piscitelli explicou que a deflação não é necessariamente algo positivo, especialmente quando registrada após uma sequência de inflação.
"No senso comum, as pessoas acham que inflação é sempre ruim e deflação é sempre bom. Na realidade, a inflação muito baixa ou a deflação pode indicar um nível de atividade econômica muito baixo."

A queda nos preços, segundo ele, pode ser reflexo de uma redução do poder de consumo da população.
"A demanda das pessoas cai e, com isso, os preços também tendem a cair. A produção diminui, cai o nível de emprego. O ciclo pode ser esse."
Sobre os setores que tiveram os menores índices de inflação, Piscitelli afirmou que a justificativa possível é que as tradicionais liquidações de verão tenham "realmente sido para valer". No setor de habitações, ele enxerga um cenário de negociações. "Locadores e locatários têm feito acordos, porque existe disponibilidade de imóveis e o nível de atividade econômica está mais baixo."

No ano passado

Em 2017, o Distrito Federal fechou o ano com o índice da inflação acima da média. O registro foi de 3,76%, o maior entre 13 capitais do país. A inflação nacional registrada no fim do ano foi de 2,95%.
Por causa deste histórico de alta, inclusive a nível nacional, o professor da UnB afirma que é "muito cedo" para fazer um diagnóstico do cenário econômico no DF. Seria preciso acompanhar a evolução do índice para ver se o movimento ascendente vai se manter.
"Um mês isoladamente não significa muita coisa."
"Em janeiro há uma evasão muito grande de pessoas de Brasília, recesso parlamentar, do judiciário etc. Como a inflação brasileira está, hoje, em níveis relativamente baixos, é provável que ocorram essas quedas localizadas em alguns meses."

]
fonte:g1 mundo

Nenhum comentário:

Postar um comentário