Câmara tenta há um mês reaver apartamento funcional ocupado por Maluf



A Câmara tenta, há um mês, reaver o apartamento funcional ocupado pelo deputado afastado Paulo Maluf (PP-SP). O prazo para a entrega do imóvel terminou no dia 20 de janeiro.
No fim do ano passado, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), decidiu suspender o pagamento do salário e as verbas relacionadas ao mandato do parlamentar, preso desde dezembro, após determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) – a medida incluiu, ainda, a determinação de devolução do apartamento.
Desde o vencimento do prazo para devolução do imóvel em janeiro, a Câmara tenta obter o apartamento de volta. A Casa já enviou duas notificações, solicitando a devolução – a última foi enviada nesta terça-feira (20).
Essa segunda notificação é o último passo antes de a Câmara acionar a Advocacia-Geral da União, para que o órgão ingresse com uma ação de reintegração de posse na Justiça Federal.
Além das notificações, as normas da Câmara preveem pagamento de multa, no valor proporcional ao auxílio-moradia mensal, de R$ 4.253,00.
Ainda pelas regras da Casa, as despesas do imóvel até a devolução são de responsabilidade do deputado que ocupa o apartamento.
O suplente do parlamentar, o deputado Junji Abe (PSD-SP) já tomou posse, em cerimônia feita em plenário nesta quarta (21). A posse do suplente ocorreu depois que Maia determinou o afastamento do parlamentar do mandato, na última segunda.
 o advogado Jesse Ribeiro, que atua na defesa de Maluf, afirmou que as chaves serão devolvidas até a próxima semana. Ele atribuiu a demora ao período de recesso parlamentar e ao feriado de Carnaval.
“Foi no período de recesso, do Carnaval, fica difícil fazer [a devolução]. Não vamos dificultar nada para ninguém”, disse. “Até semana que vem estará devolvido”, completou o advogado.

FONTE:G1 MUNDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário