Acusado de matar servidora do MinC em Brasília é condenado a 26 anos de prisão


A Justiça do Distrito Federal condenou a 26 anos de prisão o homem responsável pela morte da servidora do Ministério da Cultura (MinC) em Brasília, Maria Vanessa Esteves, de 55 anos. A jornalista foi assassinada com golpes de faca durante um assalto, em agosto do ano passado, na 408 Norte. A sentença foi divulgada nesta sexta-feira (2).
Alecsandro Dias foi preso em flagrante, dias após o crime. Ele segue detido por latrocínio e corrupção de menores. Na sentença, o juiz afirma que o acusado e um adolescente de 15 anos empregaram "extrema violência contra a vítima" ao roubar seus pertences.
"Possivelmente o adolescente desferiu um golpe de faca na parte lateral inferior do tórax da vítima, [...] que veio a óbito poucos segundos depois."

 Os dois foram encontrados em uma quitinete na comercial da 208 Norte – quadra vizinha ao local do crime. Na época, de acordo com a polícia, não houve provas suficientes que demonstrassem a participação do dono da casa no crime.
Durante as investigações, Alecsandro confessou a autoria da morte. Após a prisão, ele e o adolescente apreendido contaram ter anunciado o assalto no momento em que a vítima desceu do carro. Segundo o depoimento dos autores, Maria Vanessa reagiu, segurando na camisa do adolescente, "ao que este desferiu-lhe uma facada".

O crime

Maria Vanessa tinha acabado de estacionar o carro em frente ao prédio em que morava, por volta de 23h30, quando foi abordada pelos dois assaltantes, que deram os golpes de faca. Imagens de circuito interno, obtidas pelo G1 e pela TV Globo, mostram a fuga dos homens após o crime.
O caso foi investigado pela polícia como latrocínio – roubo seguido de morte. Os dois homens fugiram sem levar a chave do carro nem o automóvel. Os vizinhos ouviram os gritos da vítima e chamaram a emergência. Maria Vanessa não resistiu aos ferimentos, e morreu no local antes da chegada da ambulância.

A família de Maria Vanessa mora em Juiz de Fora, Minas Gerais. Ela vivia sozinha em Brasília e trabalhava como analista de projetos culturais da lei Rouanet, no Ministério da Cultura, e também fazia mestrado em jornalismo na Universidade de Brasília, com uma tese sobre o universo das blogueiras de moda.
Antes do trabalho no ministério, Vanessa passou por algumas emissoras de televisão aberta e por assinatura, como na criação do canal GNT, e foi a idealizadora do sistema de informática de busca de imagens da Globosat.

Câmeras de segurança

Na época do crime, imagens do circuito interno do condomínio da 408 Norte mostraram o momento da fuga dos dois assaltantes depois de matar a facadas a jornalista e servidora pública Maria Vanessa Veiga Esteves, do Ministério da Cultura.
Eles aparecem nas imagens, obtidas pela TV Globo, correndo em direção ao prédio. Um deles, de capuz, levava a bolsa da vítima na mão. O outro carregava uma mochila presa nas costas. A partir da gravação, foi possível identifcar os criminosos


FONTE:G1 MUNDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário