PM 'aposenta' com salário de R$ 17 mil coronel suspeito de fraudar licitações no DF




Polícia Militar do Distrito Federal transferiu para a reserva remunerada o coronel Francisco Eronildo Feitosa, suspeito de fraudar licitações e extorquir dinheiro de empresários em troca de pagamentos. A aposentadoria dele foi publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (26).
Mesmo estando preso, a publicação diz que a mudança no status de Feitosa ocorreu “a pedido”. Também justifica a medida ao fato de ele ter mais de 30 anos de serviço. Pelas regras, ele vai seguir recebendo o salário integral de R$ 17,6 mil.
Então responsável pelo Departamento de Logística e Finanças da PM, Feitosa foi detido em 14 de novembro de 2017 durante a operação Mamon. Desde então, está preso por tempo indeterminado, sob investigação da Justiça e da Corregedoria da corporação – que ainda não definaram nenhum tipo de punição definitiva.

Dois dias após a prisão dele, o  mostrou que ele ficou em uma espécie de “suíte” com cama e banheiro privativos e recebeu visitas fora dos dias convencionais. As visitas aos presos só ocorrem no fim de semana, mas em uma quarta-feira, recebeu visitas, incluindo a da mãe, que trouxe roupa e comida. Ele também conseguiu um ventilador e café passado na hora.
O caso ocorreu na carceragem do 1º Batalhão de Policiamento de Trânsito. Depois da denúncia, ele foi transferido para a cadeia conhecida como "Papudinha". O local é onde ficam policiais indiciados e denunciados que aguardam julgamento.


FONTE: G1 MUNDO


Nenhum comentário:

Postar um comentário