GDF reduz senhas para Passe Livre e usuários passam madrugada na fila



Passageiros que tentaram fazer o recadastramento do Passe Livre no metrô da 112 Sul, em Brasília, na manhã desta quarta-feira (24) ficaram sem atendimento por redução de senhas. A demanda pelo serviço aumentou em função da nova frota de ônibus com biometria facial, mas o posto da Secretaria Adjunta de Desenvolvimento Social (Sedest), responsável pelo atendimento, limitou o número de senhas a 150.
Para tentar garantir o atendimento, o vendedor João Batista Barbosa chegou às 20h de terça (23) e dormiu no local. "Tive que vir dormir aqui pra poder pegar uma senha. Daqui eu ainda vou pro trabalho ainda."

Por volta das 9h, um morador de Ceilândia disse à reportagem que esta era a terceira vez que ele tentava fazer o recadastramento e não conseguia. Ele chegou às 6h, quando a fila já se formava, e acabou desistindo porque não havia mais senhas.
"Vou ter que voltar de novo. Dormir aqui ou madrugar."
A dona de casa Patrícia Souza, que também mora em Ceilândia, buscou o postinho para resolver pendências de documentos dela e do filho, mas foi embora de mãos vazias. "Não vou dormir aqui não. Como que eu vou dormir aqui? Tem que dar um jeito."

Um servidor informou que o atendimento seria limitado por um "problema no sistema". Assim, a distribuição de senha passou de 350 para 150. Pouco depois, a orientação passada a quem buscava o serviço era fazer o recadastramento pela internet. No entanto, muitas pessoas da fila disseram que o site não estava funcionando.

FONTE:G1 MUNDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário