Estupro cresce 32% no DF em 2017; homicídio atinge menor taxa em 29 anos



O número de estupros registrados no Distrito Federal em 2017 aumentou 32% na comparação com 2016, aponta balanço da Secretaria de Segurança Pública divulgado nesta segunda-feira (8). Foram 883 casos em 12 meses – uma média de 2,5 casos por dia –, contra 667 no ano anterior.
De acordo com a pasta, a maioria das vítimas é mulher e meninas com idades entre 10 e 39 anos. O número, segundo o governo, inclui 196 casos que não aconteceram em 2017, mas só foram informados naquele ano.
Dos 687 estupros ocorridos e registrados no ano passado, 39% ocorreram na casa da vítima ou do autor. Em 59% das ocorrências, havia algum tipo de vínculo entre a vítima e o autor do crime. Segundo o secretário Edval Novaes, a alta se dá pela “dificuldade” em combater esse tipo de crime, e o cuidado "deve começar pela família".
“É um crime difícil de ser evitado já que maioria acontece dentro de casa, onde vítima e autor se conhecem. Cuidado tem que ser em casa e começar na família.”


Roubos e furtos

Seguindo a mesma tendência, na classificação de "crimes contra o patrimônio" também houve uma redução (5,6%) em 2017. O número de roubos a comércio é o tipo de crime que teve a maior queda no DF, de 23%. Foram 2,1 mil ocorrências no ano passado, contra 2,7 mil em 2016.

Já a modalidade de furto a veículo foi a que apresentou a menor redução (1,1%) em 2017: foram 12,7 mil registros desse tipo em 2016 e 12,6 mil no ano passado. Seguida por roubo a pedestre (3,8%), que registrou 36,7 mil ocorrências no ano passado, contra 38,2 mil de janeiro a dezembro do ano anterior.
Roubos a veículo e a transporte coletivo caíram 14,3%. As ocorrências pularam de 5,6 mil e 3,1 mil , respectivamente, em 2016, para 4,8 mil e 2,5 mil no ano passado.


FONTE:G1 MUNDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário