Elefante Babu morreu por causa de inflamação do pâncreas, diz Zoo de Brasília




O elefante Babu morreu em decorrência de uma pancreatite, ou seja, uma inflamação do pâncreas. A conclusão do exame de necropsia foi divulgada nesta segunda-feira (29) . Babu – famoso por jogar terra em visitantes do Zoológico de Brasília – sofreu uma parada cardiorrespiratória no início do mês.
Apesar da constatação por meio de exames, a equipe técnica do Zoo ainda investiga como a doença se desenvolveu. Durante as buscas, veterinários fizeram contato com especialistas do Park Nacional Kruger, na África do Sul, na tentativa de descobrir se outros animais da família também desenvolveram a inflamação. Foi de lá que vieram Babu e Belinha.
O objetivo, segundo a equipe, é conseguir dados de parentesco nas manadas locais e outros registros clínicos similares em elefantes da região. Além disso, amostras de tecidos foram enviadas para análises complementares em laboratórios de Minas Gerais e São Paulo.

'Belinha e Chocolate'

Após a morte de Babu, uma equipe de tratadores, veterinários, zootecnistas e biólogos do DF intensificaram o monitoramento de Belinha – companheira de Babu – e de Chocolate, elefante que também vive no Zoo.
Além de cuidar do bem-estar dos animais, os funcionários estudam como realizar a aproximação dos dois para que possam viver no mesmo recinto.

Segundo o diretor-presidente do Zoo, Gerson Norberto, o foco agora é "trabalhar no processo de aproximação do casal". Para isso, há duas semanas os tratadores distribuiram "atrativos" com aromas e odores do macho e da fêmea em cada uma das jaulas.
Durante essa etapa, estudos de análises de comportamento serão elaborados por pesquisadores, com base nas reações de cada animal. Assim que Belinha e Chocolate apresentarem familiaridade um com o outro, o próximo passo será a aproximação visual.
"Isso será feito levando o Chocolate para perto da Belinha em um recinto ao lado onde eles possam se ver", afirma um especialista do Zoo.
Segundo o diretor de mamíferos do zoológico, Filipe Reis, depois da etapa de contato visual o casal passará para uma próxima fase hospedados juntos no mesmo recinto, porém ainda sem contato físico.
“O novo casal precisa conhecer o comportamento um do outro, seus hábitos, manias e reações, para que não se assustem ou entrem em atrito quando estiverem juntos", diz Reis.
"Um início de namoro, onde tudo é novo e a aceitação entre eles é o grande desafio."
Os tratadores que convivem diariamente com os elefantes estão esperançosos que o casal consiga reproduzir e afirmam que o primeiro filhote, sendo macho, irá se chamar Babu Junior, em homenagem ao elefante ícone do zoológico.

FONTE:G1 MUNDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário