Após mais de um mês, exames comprovam febre amarela em psicólogo morto em novembro no DF

Secretaria de Saúde do Distrito Federal confirmou na tarde desta sexta-feira (29), após refazer exames, que o psicólogo de 43 anos morto em novembro realmente estava infectado com febre amarela. Apesar dos sintomas e de testes que apontavam a doença, a pasta afirmava haver laudos que atestavam que a situação era inconclusiva.
De acordo com a pasta, o homem tinha sinais de anemia falciforme. Por isso, afirmou, ainda não é possível dizer se a febre amarela foi a causa da morte ou apenas agravou o estado de saúde do paciente.
O homem tinha 43 anos e morava no Sudoeste. A morte cerebral dele foi confirmada no dia 27 de novembro – quatro dias depois de a suspeita ser levantada. Ele estava em um hospital particular da Asa Sul. Foi a primeira infecção do ano ocorrida no DF.

O homem era vacinado contra a doença havia 19 anos. Por causa da suspeita de infecção, a Secretaria de Saúde deu início a uma série de ações de vigilância ambiental na região onde ele mora. No dia 25 de novembro, o salão de festas do prédio dele virou um posto de vacinação improvisado. Mais de 60 pessoas foram imunizadas na ocasião.

Sintomas

O homem começou a sentir mal-estar e dor de cabeça dez dias antes de dar entrada no hospital. Depois, vieram dores nas costas e febre. Quando ele foi internado, o quadro era de insuficiência renal e grave estado neurológico. Uma tomografia acusou inchaço no cérebro.
Exames descartaram hantavirose e dengue. Um outro teste constatou a presença do vírus da febre amarela. O psicólogo era casado e tinha três filhos – a mais velha completou 12 anos na época em que ele estava no hospital.
Fontes ouvidas pela TV Globo afirmaram que o homem costumava frequentar dois condomínios próximos a áreas de mata – onde a chance de contrair a doença é maior. Um dos residenciais fica no Jardim Botânico, e o outro, próximo ao córrego Taboquinha.
Em nota, a Secretaria de Saúde informou que, em 2017, não registrou nenhum caso de macacos mortos em razão da febre amarela – um dos principais indicativos da circulação do vírus na região. Suspeitas desse tipo podem ser informadas à Vigilância Ambiental pelos números 99269-3673 e 3344-8527.
"Tendo em vista que o Distrito Federal é uma região em que está recomendada a vacinação contra febre amarela, a SES-DF reforça a importância de que as pessoas que ainda não têm nenhuma dose da vacina – ou seja, que nunca tomaram a vacina – procurem as Unidades Básicas de Saúde durante a semana", diz a pasta.

'Não há risco'

Segundo o governo do DF, a capital é uma região com "recomendação permanente de imunização", o que significa que todas as crianças a partir dos 9 meses e adultos até 59 devem ser imunizados – uma dose é suficiente. O secretário de Saúde, Humberto Fonseca, disse que não há risco de surto da doença.


Nenhum comentário:

Postar um comentário