Trio é preso suspeito de furtar 12 mil litros de combustíveis em um mês, em Aparecida de Goiânia

Três homens foram presos, nesta sexta-feira (3), suspeitos de furtar, armazenar irregularmente e vender combustíveis em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. De acordo com a Polícia Civil, em menos de um mês foram desviados mais de 12 mil litros de diesel de uma transportadora. O produto era vendido mais barato para consumidores, que podem ser responsabilizados.
De acordo com o delegado André Fernandes, responsável pelas investigações, os tanques clandestinos ficavam dentro de uma residência, e que o ponto foi descoberto pela polícia após vizinhos reclamarem do forte cheiro do combustível. Segundo ele, o funcionário de uma transportadora desviava a rota, e passava pelo local para vender o produto a R$ 2 o litro para os receptadores.
“Nós descobrimos que este caminhão, que é responsável por abastecer a frota desta transportadora, saía antes do horário, para desviar a rota, e vender para os receptadores. Nós conseguimos pegar o exato momento em que estava ocorrendo o desvio do caminhão para estes tanques em uma residência”, contou o delegado.
A operação foi deflagrada nesta madrugada, em Aparecida de Goiânia. Os suspeitos foram encontrados em um dos pontos onde havia o armazenamento clandestino do combustível, no Setor Marista Sul. Foram presos o motorista do caminhão, o gerente responsável pelo controle numerário, para organizar a fraude do combustível, e o receptador.
“No momento em que realizamos a prisão, entramos em contato com o dono da empresa, que ficou surpreso. Ele nos informou que aquela rota não pertencia à rota habitual do caminhão, então ficou clara a questão do furto qualificado pelos empregados desta empresa de transporte”, contou.
Conforme o delegado, cada vez que o caminhão-tanque parava no depósito clandestino, eram armazenados cerca de 1,5 mil litros de diesel. Além da casa onde eles foram presos, a polícia identificou outros dois pontos de venda clandestina. O próximo passo das investigações, segundo Fernandes, é identificar os consumidores.

“Estas pessoas estão sendo investigadas. A investigação já perdurava por dois meses, então temos muitas filmagens ao longo deste período. Alguns caminhoneiros paravam em ruas pouco movimentadas, para transferir o combustível de um para o outro”, completou.
Os envolvidos foram levados para o 1º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia e devem responder por crime ambiental, furto qualificado e receptação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário