Prédios públicos no DF trocam iluminação rosa por azul em mês de prevenção ao câncer de próstata

Prédios públicos no Distrito Federal trocaram as luzes cor de rosa pelas azuis, em referência à campanha de prevenção e diagnóstico precoce do câncer de próstata, o segundo tipo mais comum em homens, segundo o Instutito Nacional de Câncer (Inca).
Depois do Outubro Rosa, que alertava as mulheres sobre o câncer de mama, a Sociedade Brasileira de Urologia promove a campanha Novembro Azul, com foco nas doenças que atingem principalmente os homens, como o câncer de próstata – uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen.

O câncer de próstata é mais comum na terceira idade. De acordo com o Inca, três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. No Brasil, a extimativa de incidência em 2016 foi de 61,2 mil e, em 2017, de 57.960 – no DF, o número estimado é de 840. Segundo o Ministério da Saúde, esta é quarta causa de morte por câncer entre homens no país e corresponde a 6% do total de óbitos deste público.

Sintomas e prevenção

Para evitar o surgimento do câncer de próstata, o Ministério da Saúde recomenda uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e com menos gordura, principalmente as de origem animal. A prática de 30 minutos diários de atividade física, a redução do consumo de álcool e não fumar também podem ajudar.
Segundo a pasta, homens a partir de 50 anos devem realizar exames de rotina. Os sintomas mais comuns do tumor são dificuldade de urinar, frequência urinária alterada ou diminuição da força do jato da urina. Na fase avançada, pode provocar dor no ossos, infecção generalizada ou insuficiência renal.
Quem tem histórico familiar da doença deve alertar o médico. De acordo com Instituto Nacional do Câncer, ter pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos pode aumentar o risco de desenvolver a doença de 3 a 10 vezes.




Nenhum comentário:

Postar um comentário