Eventos no Rio de Janeiro deverão receber aporte de R$ 200 milhões, prevê ministro

 O Governo federal decidiu nesta quinta-feira (3) organizar um calendário com cerca de 150 eventos culturais, esportivos e de turismo no estado do Rio de Janeiro que deverão receber aporte de cerca de R$ 200 milhões, informou o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão.
Segundo o ministro, os recursos deverão sair de patrocínios de empresas estatais e privadas, além de leis de incentivo e, "eventualmente", do Orçamento da União.
Sérgio Sá Leitão explicou que o objetivo do governo ao definir esse calendário de eventos é incentivar a geração de emprego e renda no estado. A atuação do governo federal também se estenderá a ações na área social.
O "marco inicial" será o próximo Réveillon e o calendário foi batizado de "Rio de janeiro a janeiro". O Carnaval de 2018 está na relação de eventos que o governo federal pretende apoiar.

Grupo de trabalho

Na semana passada, o governo criou um grupo de trabalho para discutir a situação econômica do Rio de Janeiro. Entre as atribuições da chamada "força-tarefa", está definir mecanismos capazes de incentivar a economia no estado.
Participaram da reunião desta quinta os ministros Moreira Franco (Secretaria-Geral), Sérgio Sá Leitão (Cultura), Osmar Terra (Desenvolvimento Social), Maurício Quintella (Transportes) e Leonardo Picciani (Esporte), além de representantes dos ministérios da Educação e do Turismo e da Embratur, além da RioTur e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Infraestrutura

Presente à reunião desta quinta no Palácio do Planalto, o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, citou uma série de investimentos em infraestrutura previstos no Rio, com obras em portos, rodovias e aeroportos.
O ministro afirmou que "ainda não está totalmente definido", mas que há o "indicativo muito forte" de que o governo concederá o aeroporto Santos Dumont. O aeroporto de Macaé também poderá ser concedido, segundo ele.
Maurício Quintella também relatou que está em análise o repasse do Arco Metropolitano para o governo do estado. Segundo ele, é um ativo que pode servir para concessão estadual, gerando outorga aos cofres públicos.
Quintella citou, ainda, a retomada das obras da BR-040, com investimento de R$ 1 bilhão. O ministro informou que o governo federal ainda está acertando as pendências da obra com o Tribunal de Contas da União (TCU) e espera iniciar os investimentos em, "no máximo, 60 dias".
Por fim, o ministro citou investimentos na área portuária, com a prorrogação de dois contratos de arrendamento no porto de Niterói; a assinatura do contrato de arrendamento do novo terminal de trigo do porto do Rio de Janeiro; e a conclusão da dragagem no acesso ao porto do Rio.


Nenhum comentário:

Postar um comentário