'Autor foi motivado por islamofobia', afirma conselho muçulmano britânico

conselho muçulmano britânico (Muslim Council of Britain, em inglês) emitiu um comunicado na manhã desta segunda-feira (19) afirmando que o autor do atropelamento com uma van que deixou um morto e dez feridos "foi motivado por islamofobia".
Mais cedo, o motorista de uma van avançou sobre fiéis que saíam de uma mesquita na região de Finsbury Park, no norte de Londres. Ele foi detido pela população e depois preso pela polícia.
O comunicado, assinado pelo secretário-geral do conselho muçulmano britânico, Harun Khan, "nas últimas semanas e meses, muçulmanos enfrentaram muitos incidentes de islamofobia, e esta foi a manifestação mais violenta até o momento".
O grupo alerta sobre o fim do Ramadã, mês sagrado para os muçulmanos, para pedir que "as autoridades aumentem a segurança do lado de fora das mesquitas urgentemente". Durante o Ramadã, os fiéis jejuam do alvorecer até o anoitecer e costumam rezar até a madrugada.
O prefeito de Londres, Sadiq Khan, afirmou que policiamento extra será enviado para proteger comunidades e que o atropelamento de Finsbury Park foi um ataque nos valores de tolerância, liberdade e respeito.
Sadiq Khan é muçulmano e chamou o atropelamento "terrível ataque terrorista". A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou que o incidente é tratado como "potencial ataque terrorista". A polícia anti-terrorismo confirmou ter se juntado à investigação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário